ARTIGO – 12 tipos de queijos: opções saudáveis e deliciosas

Partilhar

Os laticinios são uma classe de alimento que faz parte da nossa dieta humana por milénios. Contudo, o laticinio mais delicioso é o queijo. O queijo é um alimento essencial em quase toda culinária mundial e faz parte de várias receitas famosas. Todos temos uma preferência por um queijo em especial mas há pessoas que preferem descobrir novas variedades de queijos.

Este artigo apresentará uma lista dos queijos mais famosos, suas características e fatores nutricionais.

Toda informação nutricional é por 100 gramas.

 

  1. Brie

 

Brie é um queijo macio e cremoso da região de Brie no norte da França. O Brie tem o centro macio e em volta é um bocado mais firme. É mutio mais suave e cremoso quando comparado ao seu primo mais próximo Camembert. Isso acontece por dois motivos. 1º, os produtores adicionam creme ao Brie antes de ser fermentado e isso faz com que tenha um nível de gordura alto. 2º menor quantidade de cultura de bactérias (ácido lático) são adicionadas ao Brie e por isso tem um sabor mais suave. Brie é um dos queijos mais populares do mundo e fica bem acompanhado com fiambre, frutas, compotas e vinho.

 

2.  Camembert

Camembert é um dos queijos mais famosos do mundo. Como o Brie, a origem do Camembert é do norte de França. O queijo foi nomeado com o mesmo nome de sua cidade de origem que chama-se Camembert, situado na Normandia região de França. Camembert e Brie são parecidos mas o Camembert é menos cremoso. Camembert é fermentado em doses menores oque permite ser produzido com mais rapidez. Esse processo significa que o Camembert envelhece mais rápido quando comparado ao queijo Brie. O sabor dos dois são similares mas o Camembert tem um sabor mais forte e profundo. Tem um sabor mais intenso, as vezes pode ser um pouco amargo e tem um odor forte.

 

3. Cheddar

Possivelmente um dos queijos mais famosos. O queijo Cheddar é de origem inglesa da Vila do Cheddar em Somerset, Inglaterra. Existem vários tipos de Cheddar e com sabores mais ou menos intensos. Os diferentes sabores do Cheddar dependem de quanto tempo o queijo esteve a envelhecer. Em geral o Cheddar tem uma textura mácia, suave e pouco cremosa. Um Cheddar mais envelhecido tem uma textura dura, crocante e com um sabor forte.

 

4. Queijo Cottage

 

O Cottage é uma variedade de queijo de origem anglo-saxônica, também largamente conhecido como Kässchmier nas zonas onde se fala o idioma alemão regional Riograndenser Hunsrückisch no sul do Brasil. É uma coalhada de queijo (queijo tipo fresco) com sabor suave. É elaborado com leite de vaca e apresenta massa ácida, de cor branca, com textura cremosa e grumosa. Ele é drenado, mas não prensado, restando algum soro de leite. Tem aproximadamente 4% de gordura. O cottage não é envelhecido.

 

5. Queijo Feta

Feta (em grego: φέτα), também grafado fetta, é um queijo coalhado típico da Grécia, feito tradicionalmente com leite de cabra e de ovelha. A partir de 2005 o feta passou a ser uma denominação de origem controlada na União Europeia, e definido como tendo pelo menos 70% de leite de ovelha, com o restante de cabra. Fora da União Europeia, queijos vendidos normalmente como ‘feta’ podem incluir até mesmo leite de vaca, ou mesmo ser inteiramente feito dele.

O feta é um queijo envelhecido, habitualmente produzido em blocos, com uma textura levemente granulada. É servido como queijo de mesa, assim como em saladas, empadas, tortas e outros alimentos assados, em especial aqueles com massas folhadas – como o spanakopita (“torta de espinafre”) e tyropita (“torta de queijo”).

O feta é salgado e salmourado em água e soro de leite por diversos meses. O queijo, de coloração branca e normalmente agrupado em “bolos” quadrados, seca rapidamente se retirado do soro. Sua consistência pode variar de bem mole a semi-duro, com um sabor pungente e salgado que pode ir do suave ao acentuado. O queijo curado se esfarela facilmente.

Seu conteúdo de gordura varia de 30 a 60 por cento; a maioria tem cerca de 45 por cento de gordura láctea. A maioria dos queijos feta tem um pH de 4,4 a 4,9.

O feta é um ingrediente importante na salada grega. Como outros queijos, também é servido cozido; pode ser grelhado como parte de um sanduíche ou como uma alternativa salgada a outros queijos, numa variedade de pratos.

Diversos queijos brancos salmourados (frequentemente chamados de “queijo branco” em outros idiomas) podem ser encontrados ao longo do Mediterrâneo Oriental e do mar Negro.

 

6. Gorgonzola

O gorgonzola é uma variedade de queijo azul fabricado com leite de vaca, originário da localidade de Gorgonzola, nos arredores de Milão, na Itália. A sua massa é cremosa, possuindo um sabor agradável e um aroma intenso. Neste queijo, assim como em todos os queijos azuis, no processo de maturação, são injetados fungos, que fazem com que tenha veias verde-azuladas e que lhe dão um sabor especial. Neste caso, injeta-se o Penicillium. Na fabricação industrial, atualmente usa-se o processo HTST (“High Temperature Short Time”) para pasteurizá-lo. Outro método de pasteurização é o ejetor de vapor.

 

7. Gouda

Gouda (pronunciado, em holandês, de Goudse kaas,  “Queijo de Gouda”) é um queijo amarelo feito de leite de vaca. Recebe o nome da cidade de Gouda, nos Países Baixos, porém seu nome não é protegido. A Comissão Europeia, no entanto, confirmou que o gouda holandês deverá ser protegido. Queijos feitos em outros países com o nome de gouda são vendidos, no entanto, ao redor do mundo.

 

8. Gruyére

O Gruyère é um queijo duro suíço, originário da cidade de Gruyères e produzido nos cantões de Fribourg, Vaud, Neuchâtel, Jura e Berna. Uma das características do queijo gruyère é a de possuir buracos, embora estes sejam menores e em menor quantidade do que no queijo Emmenthal. O Gruyère é copiado por todo o mundo e, por vezes, é comercializado sob a forma de pasta fundida (esta sem os característicos buracos).

O sabor do Gruyère é mais forte do que o Emmenthal e sua textura mais cremosa. É utilizado somente leite de vaca no seu preparo, ao qual se adiciona um pouco de açúcar. A casca natural é dura, seca e de cor castanho-ferrugem mais escura que a do Emmenthal. A textura do queijo é ligeiramente granulosa, densa e compacta mas flexível. À degustação, o Gruyère apresenta um sabor frutado num primeiro momento, para depois surgir um ligeiro sabor a avelã.

 

9. Mascarpone

Mascarpone é uma variedade de queijo de consistência muito cremosa, feito à base de leite de vaca e particularmente rico em gorduras. Sua cor é bege claro e o sabor é doce. A criação do mascarpone datada do final do século XVI ou início do XVII e provavelmente ocorreu na região da Lombardia, Itália, entre Lodi e Abbiategrasso. Na origem era produzido no outono e no inverno, para consumo imediato.Mesmo na atualidade, é geralmente vendido logo ao término do processo de fabricação, devendo ser consumido pouco tempo depois. Se refrigerado, pode durar aproximadamente uma semana. É obtido através da acidificação do creme de leite, mediante a adição de ácido cítrico ou ácido acético. A técnica de fabricação é simples: basta aquecer o creme a 100°C (preferencialmente em banho-maria). Depois acrescenta-se suco de limão ou vinagre branco, para talhar o creme. Em seguida, coloca-se a massa dentro de saco de morim para escorrer durante um dia ou dois, no refrigerador.

 

10. Mozzarella

A mozarela, também grafada muçarela ou mussarela (do italiano, mozzarella) é uma variedade de queijo de massa filada com origem na comuna (município) de Aversa, CE, na região italiana da Campânia.Sua receita tradicional indica o uso exclusivo de leite de búfala, produzindo o queijo em formato de bolotas conservadas em soro, brancas e bem macias. Na Itália, apenas esse tipo de queijo é reconhecido oficialmente como mozzarella, recebendo o selo de certificação de origem. São produzidas, em média, 33 mil toneladas deste queijo por ano em território italiano. Hoje, por ser muito utilizada na culinária mundial, a mozarela também é produzida a partir do leite de vaca, apresentando aspecto amarelado e consistente, em peças retangulares – neste caso, a massa utilizada também é filada. Essa é a receita mais consumida em países como o Brasil, onde são produzidas, em média, 182 mil toneladas de queijo por ano. No Brasil, onde este queijo é largamente consumido, a sua técnica de fabricação é diferenciada, o que acarreta em variações em sua composição. O fato de ser geralmente fabricado com leite cru o impede de ser padronizado no país.

 

11. Parmesão

O parmesão é um tipo de queijo italiano, com denominação de origem controlada conhecida como Parmigiano-Reggiano. Devido a sua popularidade na culinária, este tipo de queijo foi copiado e é produzido em regiões com presença de colônias italianas como o Brasil e os Estados Unidos, o que tem gerado disputas legais quanto ao uso da marca. Por ser um produto de Denominação de Origem Protegida, a marca Parmigiano-Reggiano, legalmente, só pode ser usada em queijos produzidos na região de Parma, Reggio Emilia, Módena, Bolonha e Mântua (ao sul do rio Pó), enquanto que a sua contraparte produzida a norte do Pó é o Grana Padano. Atualmente, grande parte da produção desse queijo é feita com o leite de vacas da raça Holstein-Frísia, introduzidas no território por volta do ano 900, mas a vaca mais adaptada à sua produção dele é a vermelha da raça reggiana, animal com tripla aplicação (leite, trabalho e carne).

 

12. Roquefort

Roquefort ou roquefor é o nome de uma variedade de queijo originalmente francesa produzida com leite de ovelhas. Deve o seu nome à sua localidade de origem: Roquefort-sur-Soulzon, em Aveyron, no Midi-Pirenéus, na França. Esta variedade apresenta massa de consistência cremosa e esfarelada, com casca úmida e sabor acentuado e picante. No seu fabrico, assim como no das variedades de queijo Gorgonzola e Camembert, são injetados fungos (bolores) na massa: neste caso, os do tipo Penicillium. A seguir, a massa passa por um processo de maturação de três meses. São estes fungos que desenvolvem, no Roquefort, a aparência característica com veios verde-azulados que lhe dão o sabor especial.


Partilhar